quinta-feira, 10 de abril de 2014

Chapter 52

As feridas do amor só podem ser curadas por aquele que as fez.


Era sábado e o tempo estava agradável. Os pais de Vanessa tinham saído para fazer compras, deixando-a sozinha com Logan. Aquilo já tinha virado rotina, e eles realmente o tratavam como se fosse filho de Van. Vanessa estava com os cabelos enrolados naturalmente, presos de um jeito mais relaxado e usava short jeans e camiseta leve. Hoje não era dia de escola e ela não precisaria se preocupar com Chelsea a enchendo sobre como se arrumar. Depois de ver TV e passar parte do dia brincando no tapete de casa com legos, junto com Logan, ela resolveu o levar para andar um pouco no parque.
 Foram aos fundos da casa, pegando as bicicletas e depois de colocar o capacete em Logan eles saíram. Vanessa tinha sempre o cuidado de manter Logan ou ao seu lado ou a frente, nunca atrás, não queria perder o menino de vista. Quando chegaram ao parque, prenderam as bicicletas no suporte público e foram se sentar num banco que tinha ali. Era sob a sombra das árvores e dava para ver as pessoas que corriam e andavam de bicicleta naquela parte.
– Mana? – o menininho a chamou, a fazendo olhar para ele – Compra um sorvete? – Logan perguntou se levantando e parando na frente dela. Ele sorriu e ela notou o quanto seus olhos estavam azuis naquele dia.
– Não sei se tem alguém vendendo sorvete por aqui – ela encarou o menino sorrindo fraco – A gente pode andar para ver. Você quer? – ele pareceu pensar por um minuto e assentiu sorrindo. Ela se levantou dando a mão a ele caminhando até o centro do parque. Ali o número de pessoas era maior e era provável que vendedores preferissem lugares com mais gente.
– Olha ali tem um moço – Logan disse, enquanto apontava na direção de um homem parado a sombra de um carrinho de sorvetes. Ele aparentava estar próximo dos quarenta. Ela concordou com o garotinho enquanto caminhava com ele para perto do vendedor. Quando compraram seus sorvetes foram em direção ao banco onde estavam sentados anteriormente. Foram conversando sobre os trabalhinhos da escola e sobre os desenhos favoritos do menino.
Lily observava a irmã de longe, se sentindo um pouco ridícula por há dias seguidos estar os observando. Nunca tendo coragem o suficiente para encarar Vanessa e dizer o que estava acontecendo. Onde estava a menina que teve coragem de largar o filho com a família para fugir com o idiota do namorado? Deveria ser mais audaz depois de tanto tempo, já que agora podia se considerar uma mulher e não uma garotinha.
Mas não, a coragem ia embora sempre que via que Vanessa o tratava como filho e ele correspondia. Ela queria poder sentir raiva dela, queria poder a acusar de ter roubado seu filho, mas aquilo não passava de culpa dela mesma. Fora ela que abandonou Logan, não foi?     
 Talvez pudesse ter conversado com Zac antes. Na época, tão sem juízo quanto ela, eles ainda tinham os pais. Sua ideia era viver o resto de sua juventude com Zac.
Os primeiros meses até foram legais. Mudaram-se para uma cidade não tão longe de Saint Augustine: Middleburg. Conseguiram começar um vida ali, mas quando notaram que nada seria tão fácil como pensaram Zac começou a andar com os antigos amigos do colégio e Lily não aguentou as bebedeiras e as farras que ele se metia. Um dia chegou às duas horas. Outro às quatro. Teve o dia que chegou as sete, mas que acabou dormindo do lado de fora já que não conseguiu sequer colocar a chave na porta. E teve o dia que ele dormiu num pub qualquer onde tinha enchido a cara com Sterling. Ela se lembrava de perfeitamente do loiro carregando Zac para dentro de casa enquanto ela os observava do sofá. Um tão bêbado quanto o outro, e ela se perguntava até hoje como Sterling tinha chego a casa vivo. Fora nesse dia que ela simplesmente jogou tudo para o alto, juntou suas coisas e pegou o primeiro táxi que passou a rua indo até Gainesville, que ficava a uma hora e meia dali, de carro.
Talvez se tivessem ficado com o filho para criar, hoje estivessem juntos. Talvez tudo o que tinha lhes faltado era um pouco de responsabilidade. Ela sabia que as coisas estariam diferentes. Bem diferentes. Ela sorriu, com lágrimas nos olhos quando viu Vanessa segurando ele no colo enquanto ele sorriu com o rosto sujo de picolé. Ela tentou limpar seu rosto e ele riu tentando lamber as bochechas. Ela queria estar ali. Ela sentia tanta inveja daquilo. Lily se perguntava como a irmã conseguia acordar todo dia, olhar para o filho do cara que era seu ex-namorado, com a própria irmã e ainda assim amar ele. Conseguir cuidar dele como se fosse dela. Ela acabou por desistir de ficar olhando aquilo, não poderia deixar os sentimentos de compaixão a Vanessa falarem mais alto, ela queria seu filho. Ninguém iria a fazer desistir. Nem mesmo Vanessa. Foi quando a cena voltou a chamar sua atenção. Não podia ser. Era o Zac mesmo? O que ele estava fazendo? Lily se escondeu atrás da árvore quando Vanessa para desviar do olhar do dele, virou o rosto na sua direção. Logan estava sentado no banco, e observou a cena sem entender aquilo. Ele fuzilava Zac com os olhos quando percebeu que Vanessa estava ficando nervosa.
– Você quer o que? – ela resmungou tentando não chamar a atenção de Logan. Em vão já que ele assistia a cena e escutava tudo o que falavam.
– Van nós temos que conversar, você... – ela o interrompeu.
– Cala a sua boca Zac. – resmungou em meio aos dentes, com os olhos semicerrados – O que você quer? – perguntou de novo.
– Eu ainda gosto de você. Nunca deixei de gostar. E eu sinto muito por tudo o que eu fiz.
– Não sinta. A única coisa decente que você fez na minha vida foi o Logan. Agora dá licença. – ela fez menção de se virar para ir segurar a mão de Logan e sair o mais rápido possível dali. Mas ele segurou seu braço a virando. – Me solta. – falou encarando a mão dele em seu braço.
– Nessa... – disse, a voz expressava dor.
– Não me chama de Nessa. – disse.
– Você gostava. – ele sorriu de forma carinhosa. Quase que ela caiu.
– Antes de você me trair. Com a minha irmã. – respondeu para ele.
– Olha, eu sei que o carinha ali me odeia então vou tentar ser rápido antes ele me chute na canela de novo. – respirou – Eu realmente gosto de você. E nunca falei tão sério na minha vida. O lance com a Lily foi passageiro e...
– Vocês têm um filho juntos. – disse incrédula – Não tem nada de passageiro nisso, Zachary.
– Por favor. A gente pode se encontrar mais tarde? Me dá só mais uma chance. É a última. – implorou. Ou pelo menos pareceu.
– Ok. – ela disse por fim suspirando pesadamente.
– Pode ser as vinte de hoje? Na lanchonete que a gente costumava ir...
– Não pense que entrar naquele lugar vai me fazer mudar de ideia quanto a você. – ele assentiu. Então o momento de se despedir chegou nenhum dos dois sabia como fazer aquilo. Ele beijou rápido a bochecha de Van, e sorriu por ela não ter se afastado. Mas havia a dúvida, se ela tinha ficado porque queria, ou se fora algo que não esperava. Ele coçou a nuca antes de ir. Ela sentiu seus olhos marejados, mas fez de tudo para prender o choro quando sentiu Logan puxar sua blusa.
– O que aquele bobo queria? – ele ainda tinha a expressão fechada.

– Nada demais meu amor. Ele só queria conversar. – ela deu a mão a ele que assentiu. Caminharam até o outro lado do parque, pegaram as bicicletas e foram para casa. O resto do dia seria longo.

Oi meus amores! Como vão? q
Eu estou bem, só cansada de tanto estudar (arg). Bem, a Duda já disse que mudamos a forma de escrever e blá blá blá, porque assim é melhor para a gente e acho que para vocês também. 
Então, já dissemos que só vamos postar com 7 comentários, né? Vai continuar assim, só que agora só vamos contar os comentários com conta. Não que vocês não possam comentar em anônimo, mas é só um jeito da gente conseguir saber como ta o andamento do blog. 
Mesmo não respondendo os comentários (super falta de tempo mesmo) nós lemos todos eles e agradecemos muito a todas vocês <3.
E gente, fiquem calmas em relação a Demi contar da Maddie ao Joe. Tudo tem seu tempo ok? Vão acontecer algumas coisas ainda, mas logo logo ele vai ficar sabendo. 
Comentem o que acharam, e nos deem sugestões. Espero que gostem <3

Sejam estrelinhas 
Polly.