quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Feliz Natal + Explicações

 I believe there are angels among us
sent down to us from somewhere up above.


Olááááá, meninas. Duda por aqui. Por onde começo?

Bom, primeiro, Feliz Natal atrasado. Espero que vocês tenham ganhado vários presentes e comido bastante u_u
Segundo, vocês viram que temos demorado mais de um mês para postar e eu tenho odiado isso, mesmo .-. Expricando u_u
Na quarta da semana passada foi a formatura da Polly e na quinta foi a minha, logo na sexta eu tive que viajar lá pro meio do mato e voltei ontem à noite = sem tempo pra escrever. A Polly ainda postou lá na SWBL que o note dela ta estragado, o pc tá ruim então ela mal tem conseguido entrar e a gente tem conversado pouquíssimo, só por mensagens. Peço que tenham paciência, eu agora vou ter mais tempo pra escrever (pretendo não viajar tão cedo) e a Poliana tá numa luta pra consertar o note dela kkk
Espero que compreendam, a gente ama o blog e vocês, não vamos abandonar essa bagaça aqui u_u

Enfim, logo, logo 2013 tá aí e nós vamos vir com coisas novas. Quem sabe não fazemos uma maratona no começo do ano?

Abraços,
Polly e Duda
xoxo

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Chapter 44



"A vida tem ficado difícil dia após dia
E eu não sei o que fazer, o que falar, minha mente está enfraquecendo a cada passo que eu dou"
......

Sel: Não sei o que houve. Mas ela perguntou. (ficamos mais uns minutos em silêncio, o movimento de Selena passando a escova na minha cabeça estava começando a me dar sono) 

Demi: Sel... e o... (engoli em seco) 

Sel: Joe. (completou, colocou a escova do meu lado e levantou se sentando agora de frente pra mim, na ponta da cama) Ele não foi hoje. (deu de ombros) Nick disse que não viu ele chegando, nem saindo. Não dá as caras desde... (ela me encarou) Você sabe... (assenti olhando pra minhas pernas cruzadas sobre a cama) 

Demi: Será que aconteceu alguma coisa? (não pude deixar de perguntar)

Sel: Não sei. Mas de qualquer jeito, você tem que se preocupar com você. Já comeu alguma coisa? (mudou completamente de assunto, e eu decidi que não seria eu que iria voltar a falar disso) 

Demi: To sem fome. (fiz careta)

Sel: Você tem que comer... (neguei com a cabeça) Por mim? (fez uma cara fofa)

Demi: Isso não cola mais comigo, Selena. Já passou da idade. (ri e ela me deu língua)

Sel: Pela Maddie, vai? Ela precisa de você forte, não é? (levantou uma sobrancelha, e sorriu quando revirei os olhos. Tinha pegado meu ponto fraco) Vamos lá embaixo, pra você mexer esse esqueleto. (ri e me levantei da cama, indo logo atrás de Sel. Ela me ajudou a descer as escadas, pela tontura. Assim que chegamos no andar de baixo fomos a cozinha e achei meu pai sentado a mesa, encarando alguns documentos, e Maddie numa outra cadeira fazendo desenhos de tinta. Ela tinha o cabelo amarrado num rabo de cavalo pra trás, o que me levou a crer que Selena também o tinha penteado. 

Patrick: Hum... (ele me olhou por cima do óculos) A Branca de Neve acordou...

Maddie: Ai pai. (ela bateu com a mão na testa) Quem dorme é a Bela Adormecida. 

Patrick: Mas a Branca de Neve também dorme, depois que come a maçã, não é? (ele sorriu pra Maddie, que fez cara de pensamento) E sem falar que você sempre diz que a Demi é a Branca de Neve..

Maddie: É mesmo... (deu de ombros) E os anões a ajudaram. (Ela voltou a desenhar no papel)

Demi: No meu caso "a" anã me ajudou. (eu ri, me sentando do lado de Maddie, e Selena me olhou ainda boiando)

Maddie: Ah é. (ela começou a rir, enquanto levantou o olhar e encarou Selena, que até então não tinha entendido)

Sel: Ha ha ha, eu sou mais alta que você. (me deu língua, sentando-se na nossa frente) 

Maddie: Quer desenhar? (Maddie perguntou pra nós duas.)

Demi: Meus desenhos são horríveis. (Falei pegando a jarra sobre a mesa, e colocando um pouco num copo)

Sel: Ah, eu quero! (ela bateu palminhas que nem foca fazendo Maddie gargalhar.) Ah! (ela disse enquanto escolhia um dos lápis de cores espalhados na mesa.) Van vai vir aqui, ela vai sair e ficou de deixar Logan e Frankie comigo. (Pelo o que eu sabia Van estava ficando com Frankie o tempo que Dani e Kevin saiam pra trabalhar) Tem problema eles virem pra cá? (neguei com a cabeça enquanto empurrava um pedaço de pão pela garganta)

Demi: É até bom, pra você não ficar sozinha, não é Maddie? (Ela assentiu, sorrindo, mas ainda encarando o papel) O que você fez Maddie? (me aproximei dela olhando o papel na sua frente)

Maddie: A nossa casa ué. (pegou o lápis amarelo terminando de pintar o sol)

Demi: E desde quando nossa casa é rosa? (perguntei)

Maddie: Desde quando o papai disse que no meu aniversário vai pintar. (deu de ombros)

Demi: Sério? (perguntei pra ele que assentiu, sem tirar a atenção do papel) Igual a da Barbie? 

Maddie: Não igual a da Barbie. Eu não gosto dela. (continuou pintando) É rosa beeeem clarinho, quase branco, só que eu não achei meu lápis rosa claro, ai eu pintei com o escuro mesmo.

Sel: Porque não gosta da Barbie, Maddie? (ela perguntou enquanto pintava um ursinho que ela acabara de desenhar)

Maddie: Por que ela é metida, e me lembra uma garota má lá da escola. (deu de ombros, nos fazendo rir) 

Demi: Garota má? Você nunca me falou dela. Quem é? (a encarei) 

Maddie: Sarah Shear. (falou o nome dela entre os dentes, enquanto semi-cerrava os olhinhos pra olhar melhor o desenho) Ela disse que eu sou antipalica e só brinco com o Logan e com o Frankie. Mas é mentira, porque eu brinco com todo mundo. Pode perguntar à tia Lucy. (ela falou dessa vez me encarando) 

Demi: Antipalica? (fiz cara de confusa)

Maddie: Eu perguntei a Tia Lucy e ela me disse que é pessoa que não fala com ninguém. (deu de ombros)

Demi: Antipática? (perguntei)

Maddie: Ai, Demi. É tudo igual. (falou impaciente) Uma vez ela empurrou eu e o Logan do balanço pra ela e as amiguinhas dela sentarem. 


Sel: Você falou com a Tia Lucy, né? (ela assentiu)


Maddie: Ela fez ela pedir desculpa na frente de tooooooda a classe. (ela riu parecendo lembrar de alguma coisa)


Fiquei mais um tempo com Selena e Maddie na cozinha desenhando, até meu pai dizer que tinha que se arrumar pra ir trabalhar. Mais um tempo até Selena ligar pra Van avisando que estava na minha casa. E mais alguns poucos minutos pra os meninos chegarem e se juntarem com Maddie no tapete da sala pra brincarem de pedra, papel e tesoura. Eu fiquei sentada na mesa da cozinha com Selena tentando me ensinar a matéria nova de hoje. Pela porta estar aberta deu pra ver exatamente onde as crianças estavam.


Maddie apareceu algum tempo depois pedindo pra Selena fazer pipoca pra eles. Depois do sinal do microondas pude escutar a campainha tocar, me levantei rápido, sentindo a tontura voltar, a ignorei. Passei pelas crianças na sala, todas sentadas no chão com varias folhas e lápis de cor espalhados perto deles. Fui até a porta, não me importando em olhar quem era. Abri e me arrependi. Ficamos nos encarando um bom tempo. Eu queria voltar, bater a porta na cara dele e me enfiar novamente nas cobertas e ficar lá até mofar. Mas não conseguia, alguma coisa nele me prendia. Confesso que quase não o reconheço, o cabelo mal penteado, as olheiras embaixo dos olhos eram fundas e assustadoras. Joe vestia uma calça jeans, camiseta branca e uma xadrez por cima. Além do all star com o cadarço mal amarrado. Ele era uma versão minha talvez um pouco pior.


Joe: Posso falar com você? (abaixei a cabeça quando seus olhos se encontraram com os meus) 


Demi: Joe... (sussurrei, senti meus olhos já querendo transbordar)


Joe: Demi, só me escuta. Escuta o que eu tenho pra falar. Depois você, sei lá, se decide em me perdoar ou... (ele hesitou) Nunca mais olhar na minha cara. (respirou fundo) Por favor... (Implorou. Lembro-me que só sai da frente da porta o dando espaço pra entrar. Encostei a porta ainda sem encará-lo, e caminhei ao seu lado até chegar a sala. Assim que Maddie o viu, correu pra o abraçar, fazendo com que a minha situação só piorasse)


Maddie: JJ! (ela dizia enquanto ainda tinha Joe agarrado pelo pescoço) Tava com saudades de você, sabia? (ela o encarou) O que aconteceu? (se afastou, o encarando. Ela se virou pra mim, e a única coisa que pude fazer foi desviar o olhar do dela. Não queria que ela me visse chorando) Vocês brigaram?


Sel: O que vocês acham de ir lanchar lá fora? A chuva parou. A gente podia até procurar um arco-íris.(Selena disse enquanto passava o pote de pipoca pra Frankie, alguns copos pra Logan, e vinha segurar a mão de Maddie.)


Maddie: Demi? (ela me chamou com a voz baixa, mas a única coisa que fiz foi olhar pro chão)


Sel: Vem, Maddie. (pude escutar elas se afastarem, junto com os meninos. A porta dos fundos bateu e eu sabia que agora era eu e ele.)


Demi: Senta. (estiquei a mão na direção do sofá e ele se sentou, ficando de frente pra mim. Ficamos mais alguns minutos em silêncio, nenhum dos dois com coragem o suficiente pra começar uma conversa sensata)


Joe: Demi... (escutei ele falar) O que você viu...


Demi: Por favor. Me polpe do "não era nada do que você está imaginando" (passei os dedos pelas bochechas rápido) 


Joe: O que você quer que eu te fale então? (pude notar um pouco de irritação em sua voz)


Demi: Talvez que você beijou a Ashley e ponto final. Mentir só vai piorar as coisas, e eu acho que não preciso mais de problemas. (o encarei e ele olhava o chão) 


Joe: Se essa fosse a verdade tudo seria bem mais fácil pra você, não é? Acreditar que eu sou o culpado da história e não que ela me agarrou naquela droga de corredor. 


Demi: Se essa fosse a verdade? (perguntei sarcástica) Ok, então. Por que será que eu não consigo acreditar? Você conseguiu trair minha confiança, sabia?


Joe: E você não tá traindo a minha duvidando de mim? (ele dessa vez me olhou)

Demi: Eu não to duvidando a toa. Não pelo o que eu vi lá na escola. (me levantei dessa vez mais irritada do que o normal, estava ao ponto de gritar)

Joe: Tá vendo? Você nunca quer saber o que acontece de verdade. Sempre fica como a certinha. (Joe se levantou parando na minha frente) Cadê a Demi que eu conheço? Que escuta antes de tirar conclusões precipitadas? (no momento em que Joe olhou dentro dos meus olhos eu pude sentir a dor que ele sentia. Minha vontade era de o abraçar e falar que tudo ficaria normal... Mas não ia. Eu não iria o abraçar. Eu não iria conseguir acreditar que era Ashley que o tinha beijado. Nada daquilo iria me acalmar e me fazer acreditar.) 4 anos podem mesmo mudar uma pessoa. (ele falou dessa vez mais baixo)

Demi: Você não imagina o quanto. (cuspi as palavras)

Joe: O que aconteceu nesses anos, Demi? Esses anos que a gente ficou longe um do outro?

Demi: Não te interessa! (sussurrei sentindo as lágrimas virem e eu abaixei a cabeça)

Joe: Não interessa... (ele olhou pro lado, encarando um ponto fixo e sorrindo. Um sorriso contorcido de dor.) Eu venho aqui. Tento ter uma conversa decente e olha o que me acontece.

Demi: Você não entende, caramba! (levantei o rosto. Dane-se as lágrimas que escorriam me fazendo enxergar mal) Eu não sou mais aquela idiota! Eu não sou mais aquela garotinha de 14 anos que estava perdidamente apaixonada pelo melhor amigo. Que achava o mundo perfeito. Eu cresci, ok? Eu amadureci, Joseph! Ao contrário de você.

Joe: Agora eu sou a criança? Demi, eu sinto que você esconde alguma coisa de mim desde que eu cheguei aqui. (Meu coração deu um solavanco) É o que? O Sterling? Se for pode falar. Vocês estavam felizes, e foi só o burro aqui aparecer pra estragar tudo.

Demi: Cala a boca! (comecei a soluçar alto) Como pode pensar que eu tive alguma coisa com ele?

Joe: Do mesmo jeito que você acha que eu tenho algo com a Ashley.

Demi: A diferença é que eu vi! E mais diferente ainda, é eu ver uma coisa e outra é você achar.

Joe: Demi, por favor...

Demi: Por favor digo eu, Joe! (passei a mão pelo rosto o secando) Melhor você ir. Eu não to em condições de conversar sobre isso. Por favor, vai embora. ( passei a mão pelo cabelo)

Joe: Demi, por favor... (ele falou baixo passando o polegar por minha bochecha, me afastei instantaneamente) Eu te amo... (escutei ele falar mais baixo que um sussurro enquanto saia pela porta. Fora tão baixo, que eu não sabia se era ele mesmo falando ou coisa da minha cabeça. Preferi acreditar que era segunda opção, me joguei no sofá chorando.)

Eu afundava a cabeça em alguma almofada, meu choro quase se transformando em gritos. Senti a cabeça latejar, e o corpo doer. O que me fez lembrar da gripe. Logo apaguei. Talvez os efeitos da medicação.

Acordei em minha cama. Em meu quarto. Não me lembro de como fora parar ali. Até onde minha sanidade mental podia ir, tudo indicava que eu tinha dormido no sofá.
Oláááááá, Duda aqui (: Tudo bem com vocês, meninas? Comigo sim.
Quero agradecer aos comentários como sempre. Espero que vocês estejam votando na Demi no PCA senão... u_u
Bom, vocês viram que o ritmo das postagens diminuiu e eu não posso dizer que vamos aumentá-lo. Por quê? Eu e a Polly estamos na 8ª série e nós duas vamos mudar de escola (esperamos passar u_u q) então agora final do ano fica mais complicado ainda. Eu tenho várias provas pra fazer esse mês, tenho estudado bastante, inclusive tenho uma prova agora nesse sábado, me desejem sorte u_u São provas para escolas de ensino médio que eu quero entrar. Vamos sempre tentar arranjar um tempo pro blog mas tá mais difícil.
Mais uma coisa, mudamos o layout de novo .-. kkkk Esse agora tem a Maddie (interpretada pela nossa Jayjsan u_u) porque dia 16 agora é aniversário dela então é uma homenagem u_u q
É isso hoje.
xoxo, duda

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Chapter 43



"Eles queriam ter o que tínhamos e a inveja está atrapalhando, mas eu não posso ficar sentado os assistindo construir um caso."
.....


Acabei por dormir junto com Maddie, quando acordei já eram sete da noite e ela continuava dormindo. Pude ouvir meu pai na cozinha, provavelmente preparando a janta para nós três. Passei a mão no rosto de Maddie e ela foi abrindo os olhos aos poucos.

Maddie: O que foi? (disse coçando os olhinhos)

Demi: Hora de acordar, já é noite. (sorri fraco) Você não tomou banho hoje. (a lembrei e ela enterrou o rosto no meu pescoço)

Maddie: Por favor, Deeeeem. (choramingou e se encolheu sob a manta) Tá frio.

Demi: Vou te deixar aí só mais um pouquinho, mas depois a gente tem que jantar e tomar banho, ok? (ela assentiu, sua respiração ficou mais leve e logo percebi que ela tinha dormido de novo. Meu pai apareceu na porta da cozinha para sala e ficou encarando a TV que estava ligada num volume bem baixo) Cozinhando? (ele olhou assustado para mim e eu ri) 

Patrick: Não vi que tinha acordado. (sorriu) É, to tentando fazer um macarrão mas acho que não tá dando certo.

Demi: Eu até ia te ajudar, mas... (apontei para Maddie, que estava “se segurando” em mim. Os dedinhos emaranhados no meio dos meus cabelos)

Patrick: Tudo bem. (ele sorriu e ficou observando Maddie por alguns segundos) Já tá quase pronto. (assenti, ele deu as costas e voltou à cozinha)

Dei um jeito de acordar Madison e nós fomos jantar. O esforço do meu pai para cozinhar até valeu a pena, o macarrão que ele fez estava ótimo. Conseguimos conversar normalmente, sem minha mãe por perto as coisas pareciam tão mais fáceis. Pelo menos para mim e Maddie, meu pai amava ela como no dia que se casaram e sempre ficava ruim quando ela tinha uma das suas crises de loucura e acabava afetando a mim ou Mad. Ele sempre tentava disfarçar mas nem sempre tinha sucesso.
Ajudei ele com as louças enquanto Maddie tagarelava sentada sobre a mesa. Depois fui andando com ela, que estava de birra pra não tomar banho, até seu quarto.

Maddie: Eu não preciso tomar banho, Demi! (disse parada no pé da escada) Não corri nem nada hoje. (fez bico)

Demi: Não creio que você quer ficar fedendo, Madison. (fiz cara de surpresa e ela revirou os olhos) 

Maddie: Eu nem to fedendo, tá? Só suei um pouco...

Demi: Larga mão de ser porca, garota. (disse rindo e a peguei no colo) Vem, você não vai morrer de frio. 

Consegui fazer Maddie tomar seu banho, uma pequena chantagem usando os doces que eu havia comprado e ela foi sem reclamar mais. Deixei ela no chuveiro, fui procurar um pijama pra ela e outro pra mim. Tirei o conjunto da gaveta da minha cômoda e quando ia sair do quarto avistei uma folha de papel sobre a cama. Peguei a folha e a virei, era um dos muitos desenhos de Madison. Ela havia desenhado eu, ela e Joe.
Sorri fraco, dobrei a folha ao meio e a guardei na gaveta que ficava no criado-mudo ao lado da cama. Fechei a gaveta e limpei as duas lágrimas que haviam escorrido. Ela e Joe tinham essa relação de pai e filha, que se não fosse pela burrada dele, ia continuar intacta comigo ao seu lado. Ela de repente me chamou do banheiro do seu quarto e eu fui correndo até lá, a sequei e enquanto se vestia sozinha eu coloquei meu pijama.

Maddie: Eu não quero dormir ainda. (disse enquanto eu penteava seu cabelo)

Demi: Mas precisa, a gente tem escola amanhã e precisamos acordar cedinho. (a desci da bancada do banheiro e ela foi andando até a sua cama, onde se sentou)

Maddie: Mas eu não quero ir. (fez bico)

Demi: Mas precisa. (sorri e me sentei do seu lado)

Maddie: Posso dormir aqui hoje?

Demi: Certeza? (ela assentiu) Mas é pra dormir, ok? Vem. (levantamos da cama, ela se deitou, eu a cobri e beijei sua testa) Quer que eu fique até que você pegue no sono?

Maddie: Não precisa.

Demi: Tá bom, então. (beijei sua testa de novo) Boa noite.

Maddie: Boa noite.

Abaixei a luz do seu quarto para o mínimo e fui até o meu, deitando na cama e esperando o máximo que eu fosse pegar no sono rápido. Estava exausta e acabada, também achava que provavelmente ia pagar uma gripe pelo belo banho de chuva que tomei de tarde. Fechei os olhos, rolei na cama de um lado para o outro por longos minutos. Talvez eu tivesse me acostumado com Joe dormindo comigo e Maddie às vezes, os dois faziam falta ali. Ouvi a porta do meu quarto sendo aberta, olhei e vi a silhueta de Maddie.

Maddie: Ta acordada?

Demi: Sim.

Maddie: Posso deitar com você? (sorri, ela dificilmente dormia sozinha)

Demi: Claro. (ela correu até minha cama e se jogou do meu lado) Não trouxe seu travesseiro?

Maddie: Não...

Eu fui um pouco pro lado pra ela poder colocar a cabeça sobre meu travesseiro. Ela o fez e sorriu fraquinho pra mim. Peguei seu pé sob as cobertas e fiz cócegas, o que fez ela rir e me abraçar. Não demorou muito tempo até que Maddie fechasse os olhinhos e caísse no sono. A puxei pra mais perto de mim, a ajeitando debaixo das cobertas, a chuva lá fora ainda caía, me fazendo lembrar de mais cedo. Cenas de hoje a tarde voltaram em minha mente, contudo, não me importei de prender as lágrimas, fui colocando os fios de cabelo de Maddie pra trás de sua orelha, eu não conseguia a encarar sem lembrar de Joe. Ela parecia comigo sim, mas tinha vários traços que me lembrava ele. Até o jeitinho de encolher uma perna mais que a outra na hora de dormir. Afundei a cabeça no travesseiro, e fechei os olhos, deixando que as malditas lágrimas caíssem até eu perder todas as forças e acabar dormindo.

Na manhã seguinte, quando voltei a minha consciência, a primeira coisa que senti foi minha garganta arder. Abri os olhos, e pude ver a claridade que entrava no quarto, não eram raios de sol fortes, a luz estava fraquinha, talvez escondida atrás das nuvens espessas. Observei Maddie ainda deitada, abraçada a mim da mesma maneira que ontem caiu no sono. Olhei pro despertador no criado mudo, que já marcava 10 horas, e mostrava que já tinha mais do que passado a hora de ir pra escola. Apoiei a cabeça com o braço esquerdo, fazendo carinho no cabelo de Maddie que logo abriu os olhinhos, abriu a boca em forma de "ó" antes de enfiar a cabeça entre meu pescoço e o travesseiro.

Maddie: Ah não Dem... (a voz meio rouca pelo sono, e baixa pela proximidade do travesseiro) .. Não quero ir pra escola.

Demi: A gente não vai.. ( falei baixo, escutando minha voz totalmente fraca, e enquanto a garganta latejava)

Maddie: Você tá dodói? (ela se afastou pra me olhar)

Demi: Não é nada demais.. (sussurrei mais fraco ainda, Maddie se sentou pra me encarar)

Maddie: Você tá dodói sim Demi... (ela colocou as mãozinhas nas minhas bochechas a fazendo a encarar) Você tá quente igual fogo Demi! Eu vou chamar o papai. (Antes mesmo de eu negar ela ja tinha pulado da cama e saído pela porta. Em pouco tempo, eu tinha meu pai parado encarando um termômetro logo que tirou ele da minha boca, e uma Maddie pegando todos os brinquedos dela e colocando em volta de mim, dizendo que era pra me fazer companhia enquanto ela tomava banho.) Abraça o Yoshi bem forte. Eu faço isso quando to dodói. Melhora sabia? ( ela sorriu, me entregando o boneco, e eu fiz o mesmo só assentindo, meu pai saiu depois de escutar o barulho do telefone) Eu não vou demorar. Prometo! (me deu um beijo na bochecha)

Demi: Palavra de escoteira? (falei baixinho ainda sorrindo)

Maddie: Aham! (fez continência, levando a mãozinha na testa. Ela pulou da cama, antes de pegar a roupa do meu lado que meu pai tinha a ajudado a separar. Vi Maddie correndo até o banheiro e sorri sozinha, me aconcheguei entre os bonecos dela, sentindo todo meu corpo latejar. Fechei os olhos por alguns minutos, até acordar com a mesma me cutucando.) Voltei! ( subiu na cama abrindo espaço entre os brinquedos pra ficar do meu lado.)

Demi: Hey... Tomou banho direito? (falei ainda rouca)

Maddie: Sim.. (fez bico, levantei a sobrancelha pra ela) Eu juro Demi! Eu passei shampoo, eu lavei o rosto. Tudo como você me ensinou.

Demi: Bom mesmo. (sorri e ela deitou do meu lado me abraçando) Vai acabar ficando gripada também.

Maddie: Não tem problema. (me apertou mais. Ouvi batidas na porta e logo depois meu pai entrou segurando um vidro de xarope) É remédio pra mim? (arregalou os olhos se sentando)

Patrick: Não Maddie... É pra Demi... (sorri pra pequena que falava um "ufa" se deitando de novo na cama ) se você não melhorar vou te levar no médico. Sua febre ta bem alta.

Maddie: Mas ela vai ficar boa se tomar o xarope né? ( se ajoelhou na cama observando meu pai colocar o liquido meio amarelo no potinho de medidas) Eca! É o que tem gosto de limão Demis. (fez careta)

Demi: Ai pai... (fiz careta também)

Patrick: Demi.. (me olhou de cara feia)

Maddie: Toma tudo Demi. Vai. Quando é comigo você me obriga a tomar.. (me deu careta, fiz o mesmo, logo pegando o remédio e jogando direto na garganta pra não sentir o gosto.)

Patrick: Selena ligou, disse que vem mais tarde pra te ver. (hesitou olhando pra Maddie) Vamos descer Maddie? (ela reclamou com um "ah não, quero ficar com a Demi" ) Você não quer que ela fique boa? (assentiu) Ela tem que descansar, e você tem que comer alguma coisa.

Maddie: O Yoshi vai cuidar de você ok? (se virou pra mim, e eu percebi que ainda o segurava, Maddie me deu um beijo na bochecha antes de ir pra perto do meu pai) Ah, vou fazer uma lista de coisas, pra eu fazer com a Demi quando ela acordar.... (escutei ela comentar enquanto meu pai fechava a porta)


Quando acordei percebi que estava bem suada, e tinha alguns fios de cabelo grudados na testa. Ainda sentia dor no corpo, mas a tontura tinha ido embora. Me levantei apoiando na cama e olhei pro relógio que marcava 2 da tarde. Em poucos minutos Selena passaria pela porta do meu quarto, preocupada pra saber como eu estava. Fui até o banheiro, e cogitei a ideia de encher a banheira. Desisti assim que pensei que eu podia ser vencida pela preguiça e ficar deitada ali pra sempre. Fui até o chuveiro tomando um banho rápido, me enrolei na toalha e fui até o quarto, vestindo uma calça de moletom preta e uma camiseta branca, com um pequeno detalhe em gola v. Amarrei o cabelo no alto da cabeça nem me preocupando em o pentear, me joguei na cama novamente, e ja ia fechar os olhos quando escutei batidas na porta. Olhei e vi Selena colocar a cabeça pra dentro do quarto, me dando um sorriso carinhoso.

Sel: Oi. (ela falou assim que fechou a porta e se sentou na ponta da cama)

Demi: Oi. (ri da cara que ela fez quando escutou minha voz)

Sel:  Desde nova você é assim. (comentou) Pega gripe só com uma chuvinha (pegou um dos bonecos de Maddie e ficou olhando)

Demi: E você sempre consegue dar uma volta na gripe. (revirei os olhos e ela riu)

Sel: O que houve nessa casa que ninguém penteou o cabelo? (perguntou e eu sorri) Madison estava parecendo um ninho de passarinho, e ai eu chego aqui e você ta ai com o seu todo enrolado. (foi até a penteadeira pegando a escova) Anda, deixa eu dar um jeito nisso.

Demi: Ai Sel.. (fiz bico)

Sel: Demetria.. (tentou fazer cara de séria mas não deu muito certo. Fui até o meio da cama e Selena sentou atrás de mim, escovando meu cabelo)

Demi: Como foi na escola? (perguntei só pra puxar assunto)

Sel: Normal. A professora de Espanhol perguntou de você.

Demi: Jura? (fiz careta) Ela nem fala comigo direito.

Sel: Não sei o que houve. Mas ela perguntou. (ficamos mais uns minutos em silêncio, o movimento de Selena passando a escova na minha cabeça estava começando a me dar sono)

Demi: Sel... e o... (engoli em seco)



Olá amoras! Tudo bem? Também estou *--* Não tenho muito o que falar. Só espero que gostem desse capitulo. Eu e a Duda fizemos com carinho ;)
Estão votando no PCA? Então se sim continuem, e se não entrem nesse link : PCA 2013 olhem ali embaixo quais pré-nomeações a Demi está participando, e votem. Votem até os dedos de vocês caírem u.u, brincadeira, mas votem muito por quê a nossa Demi merece né?
Então é isso, bjs meninas! Polly...

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Chapter 42


Deus sabe o que está se escondendo naqueles fracos e afundados olhos, uma multidão ardente de anjos silenciados, dando amor e recebendo nada de volta.

.....

Eu não seria a melhor pessoa pra consolar Van, nunca fui boa com essas coisas. Parte da aula eu fiquei olhando o céu mudar de cor e outra rabiscando algumas palavras sem sentido no caderno.
Quando o sinal tocou eu só abracei Van e sorri tentando a passar algum conforto, pelo o que notei até que funcionou um pouco. Tivemos mais uma aula antes do intervalo, que não estava num clima muito bom. Sel estava de bico por algum motivo que eu preferi não perguntar o que era, Nick corria pra terminar o exercício de matemática que tinha esquecido de fazer, Joe chegou uns 5 minutos depois de nós 3 e se sentou quieto na mesa. Sussurrei "o que foi?" baixo e ele forçou um sorriso negando com a cabeça. Selena mandou uns 3 olhares com raiva na direção de Joe o que eu não entendi. Se eu pudesse dizer qual intervalo foi mais chato esse com certeza estaria em nº1 na lista. Quando o sinal tocou me levantei irritada, sem ao menos falar com ninguém. O lanche intocável na bandeja. Assim que me livrei dela fui pra sala, me sentei na minha cadeira de costume e esperei o professor aparecer na sala. Sel entrou pela porta quase que chutando. Se jogou do meu lado de qualquer jeito. 

Demi: O que foi? (perguntei)


Sel: Nada demais... (deu de ombros. Eu sabia que tinha alguma coisa ali, mas não iria perguntar, porque Selly era um amor de pessoa, mas irritada não era lá essa coisa querida)


Observei a professora baixinha entrar na sala, era aula de Espanhol, eu não era ruim, mas também não era a melhor na matéria. Tentei me concentrar na aula, o que em parte até que deu jeito. O sinal da saída tocou e eu dei graças a Deus por aquilo. 


Sel: Te espero no carro. (Quando dei por mim Selena já tinha juntado o material e saído da sala, continuei enrolando o máximo pra guardar o meu, a situação estava meio estranha ali. Olhei pra janela e vi que o tempo já estava bastante tomado pelas nuvens, não tinha mais nenhum vestígio do sol. Assim que já tinha tudo na bolsa, me levantei fazendo o mesmo caminho que os outros estudantes. Enquanto passava pelo corredor que dava pro pátio, um cartaz me chamou atenção. Era algo como 'Feira de Ciências do 2º ano', me lembrei do trabalho de Ciências e voltei correndo pra pegar o livro no meu armário. Parei no meio do caminho. A cena que encontrei pode se dizer que eu nunca iria pensar ver uma vez na vida. 

Meus olhos ferveram, minha garganta se tampou, não sendo capaz de me deixar falar nada. 
As lágrimas começaram a escorrer descontroladamente quando Joe partiu o beijo entre ele e Ashley e se virou pra me olhar. 

Joe: Demi, eu não... (não consegui dizer nada, só me virei correndo, não sabia pra que lado ia. Pude escutar 'Deixa ela, Joe' Mas não escutei a resposta dele. Aquela escola nunca pareceu tão grande. Senti uma mão me segurar, fazendo-me parar. Puxei o braço com força.) Demi, não é nada disso. Ela que me puxou e...


Demi: E você continuou a beijar ela? (passei a mão na testa, jogando o cabelo que tampava meu rosto pra trás) Eu nunca pensei que você um dia ia fazer isso... Mas to vendo que o Joe que eu conheci não é mais o mesmo. 

Joe: Demi... (vi lágrimas formarem em seus olhos, mas eu não conseguia acreditar nele. O que eu mais temia estava acontecendo. Escutei um forte trovão que vinha do lado de fora.) 


Demi: Me esquece. Esquece que a gente se conheceu. (me virei mas Joe me segurou) Me deixa! (virei o corredor passando por uma das portas, que dava pro estacionamento. Vi o carro de Nick parado alguns metros, mas parei. Eles iriam me encher de perguntas do que estava acontecendo. A chuva era forte o que dificultava ver quem estava lá dentro, e eu espero que eles também não conseguissem me ver, já que o limpador do para-brisas estava desligado. Deixei a bolsa cair do meu braço e entrei novamente na escola, corri até o próximo corredor e saí, era a saída de emergência, e aquilo não deixava de ser uma. Depois de atravessar a rua me deparei com o parquinho que sempre trazia Maddie. Ele que era sempre tão colorido com as flores brotando, com as crianças brincando, parecia perder a cor a velocidade que a chuva caia. Tirando eu, acho que não tinha nenhum outro ser vivo ali. Até os pássaros tinham sumido. Caminhei mais um pouco sentindo a chuva me molhar por inteira, mas do que importava mesmo? Avistei o pequeno muro que tinha no final do parque, era asfaltado uns 30 cm e depois começava a grama do parque. Me joguei ali. Eu e Selly costumávamos nos sentar naquele lugar quando Maddie ainda era bem pequena e queríamos ficar sozinhas e desde então passou a ser no 'canto de reflexão' já que quase ninguém ia lá.) 



Fiquei um bom tempo lá, agarrada aos joelhos e chorando, me sentia idiota por aquilo ter acontecido. Por ter acreditado que ele não tinha mudado. Já tinha se passado 4 anos e como eu fui tão tola por acreditar que ele não teve outras garotas depois de mim? Eu me sentia ligada a Joe pela Maddie, mas ele nem sabia que ela existia! E muito menos que era nossa filha... Escutei passos, mas só podia ser coisa da minha cabeça. Quem iria andar na chuva sem motivo? A pessoa se sentou do meu lado mostrando que não era maluquice minha. Senti o perfume floral de Selena e levantei o rosto pra a encarar. Ela tinha as pernas cruzadas e encarava o horizonte. Tudo fazia sentido. Ela olhou de cara feia pra Joe porque já tinha visto ele com Ashley. 


Demi: Você sabia, não é? (Ela assentiu sem parar de encarar o horizonte. Virei o rosto pra frente fazendo o mesmo que ela. Ficamos mais uns 5 minutos em silêncio até Selena começar a falar.)


Sel: Na hora não caiu a ficha. (hesitou) Acho que a gente ficou muito presa ao passado. As coisas mudaram. (assenti e as lágrimas começaram a surgir de novo) 


Demi: Sel... (ela me olhou) Eu não consigo acreditar que em 4 anos Joe não tenha ficado com nenhuma outra garota, mas... A Ashley já é demais. (comecei a soluçar) Hoje cedo ela deu em cima dele. E ele falou que ela era louca, e até falou pra Maddie que não gostava dela e...


Sel: Como eu disse: nós ficamos presas ao passado. Ele continuou e a gente aqui achando que ele era o mesmo Joe. (deu de ombros. Se eu fosse contar as vezes que tinha visto Selena chorar na minha frente. Devia ser umas 3: 1 - Quando Joe foi embora. 2 - Quando Tia Amanda deu o Floco de Neve. - Gato que a gente tinha encontrado na porta da casa dela - 3 - Quando o pai dela teve que se mudar pelo emprego. Queria poder aprender com Selena prender os sentimentos assim.) E a Maddie? (tocou onde eu mais tinha medo) Ela tava toda feliz no carro dizendo que você e o Joe estavam namorando...


Demi: Não sei o que vou falar pra ela. (deu de ombros)


Sel: Afastar ela dele não é a melhor opção. 


Demi: Eu sei. Ela iria me odiar se fizesse isso. Onde ela tá?


Sel: Nick levou ela pra casa dele, Frankie foi pra lá também. Nós falamos que você teve que ir no mercado. (sorri fraco. Pelo menos ela estaria bem com Nick, não iria precisar me ver nesse estado.) Lembra aquele dia, que você foi lá em casa e disse que queria contar a ele sobre a Maddie, porque se sentia culpada... (assenti) Ainda vai fazer isso?


Demi: Não sei. (Dei de ombros) Não tenho mais cara pra falar. Depois do que aconteceu hoje, nem sei se quero mais contar. 


Sel: Eu não sei o que te dizer...


Demi: Não precisa dizer nada ok? (ela assentiu me olhando com lágrimas nos olhos)


Sel: Eu só quero que você seja feliz. Você já superou coisa pior e sabe disso. (assenti) Acho melhor a gente ir. Pelo menos se você não quiser pegar um resfriado. 


Concordei calada e Sel me ajudou a levantar. Ela me ajudou a andar por alguns metros até eu perceber que não havia um carro com qual ir embora.


Demi: Como você pretende que a gente vá pra casa? (perguntei e sorri fraco) 


Sel: Não acho que seja um problema andar até em casa na chuva, já que estamos encharcadas. (deu de ombros e eu assenti)


Demi: Você viu pra onde o Joe foi? Não quero chegar em casa e dar de cara com ele. (disse assim que viramos mais uma esquina)


Sel: Ele saiu com o carro dele mas não faço a mínima ideia de onde pode ter ido. Ele não deve aparecer na sua casa, ele te conhece e sabe que você gosta de ter um tempo pra pensar...


Quando chegamos na minha casa não havia ninguém, então eu fui direto tomar um banho quente e Selena foi logo para sua casa. Quando saí do banho resolvi ir até a loja de doces na rua de trás, já que Selena disse a Madison que eu ia no mercado eu devia pelo menos aparecer com alguma coisa em casa. Quando estava voltando pra casa a chuva parou um pouco e eu recebi uma mensagem. Era de Nick e dizia que ele estava na minha casa com Maddie, esperando eu chegar. Não apressei o passo, continuei caminhando com calma até em casa, tentando bloquear o final da aula de hoje da minha cabeça. Quando cheguei e abri a porta fui recebida por Maddie pulando no meu colo.


Maddie: Finalmente você chegou. (ela disse me abraçando e eu sorri)


Demi: Desculpa, meu amor. (beijei sua testa e Nick apareceu atrás dela, ele sussurrou que tinha que ir e que tinha deixado minha bolsa no quarto, eu assenti e ele beijou o topo da minha cabeça, saindo em seguida. Meus olhos encheram de lágrimas quando Maddie me abraçou mais forte e depois se afastou um pouco)


Maddie: Eu fiz uns desenhos na es... (ela me olhou melhor) Tava chorando, Demi? (colocou a mão na minha bochecha e eu neguei com a cabeça) Tava sim. (seus olhos encheram de lágrimas)


Demi: Não, ta tudo bem, Maddie. (ela me deu um beijo na bochecha e depois me abraçou rápido)


Maddie: Passou? (me olhou preocupada e eu sorri)


Demi: Passou, passou. (beijei sua bochecha)


Maddie: O papai chegou, quer que eu peça pra ele fazer um chocolate quente?

Demi: Ta bom, você quer? (ela assentiu, a coloquei no chão e ela saiu correndo até a cozinha) 


Subi para pegar a manta da Maddie, seu yoshi e um travesseiro pra mim e depois desci, arrumei a sala para nós duas deitarmos e fui até a cozinha. Meu pai estava lá terminando os chocolates.

Demi: Ei. (ele se virou e sorriu)


Patrick: Oi, como foi na escola? (perguntou se voltando ao que estava fazendo)


Demi: Bem... (criei um nó na garganta) Não foi um dia muito bom.


Patrick: Por que não? (falou preocupado)


Demi: Nada não. (sorri fraco e ele entregou a minha caneca e o copinho de Maddie) Obrigada. (sorri e voltei até a sala, Maddie estava descendo as escadas correndo) Devagar, Maddie. (disse colocando os chocolates sobre a mesa de canto e me sentando no sofá)


Maddie: Olha, Dem. (ela chegou com umas folhas de papel e sentou ao meu lado) A gente desenhou na escola. (pegou um por um e foi me mostrando, havia pelo menos 8, eles deviam ter passado a semana inteira desenhando. Ela me entregou um desenho de uma criança - no caso ela - e de um cachorro) 


Demi: Que cachorro é esse, Maddie? (sorri fraco observando o desenho)


Maddie: É... um que a gente vai ter um dia. (ela fez bico e continuou mostrando os desenhos)


Demi: Quem são esses dois?


Maddie: A Claire e o Evan...


Demi: Lembra deles? (perguntei mexendo no seu cabelo)


Maddie: Lembro. (ela sorriu e deixou os desenhos de lado) Quero ver filme. (fez biquinho, eu peguei o controle e coloquei em um canal infantil.) Tá bem mesmo? (ela me perguntou depois de um tempo)


Demi: To sim, pequena. Vem aqui. 


Eu a aninhei no meu colo, puxei a manta por cima de nós duas e fechei os olhos apoiando a cabeça na de Maddie. Ela foi tomando o chocolate quente dela enquanto estava encolhida assistindo desenho e eu nem cheguei a tocar no meu. Maddie acabou cochilando, eu a puxei e deitei no sofá com ela. Algumas lágrimas vieram quando eu estava ali abraçada com ela, mas me recusei me deixá-las descer. 


Olááááá :D 
Meninas, não sei onde colocar a cara, sério. Desculpem a nossa demora, mas a gente não tava conseguindo escrever mesmo. Teve todo esse negócio da Demi aqui no Brasil (<3) e a gente tava eufórica com isso mesmo que não tenhamos conseguido ir aos shows. Mas enfim, espero que não nos abandonem nunca, ok? u_u 
Obrigada pelos comentários, como sempre.

Beijos,
Duda.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Chapter 41 (Extra Big)


"O tempo que você dançou comigo, sem nenhuma música tocando, eu me lembro das coisas simples, eu me lembro até eu chorar."
.....
Absolutamente meu pai era demais, eu agradecia sempre por ter ele. Coloquei o telefone no gancho novamente e fui pro andar de cima. Joe já tinha saído do banheiro e estava sentado na cama conversando com Maddie.

Demi: Posso participar da conversa? (pus a cabeça pra dentro do quarto e escutei Maddie rir)

Maddie: Você não ia entender mesmo, Demi. (deu de ombros gargalhando)

Joe: É, Dem... (acompanhou Maddie nas gargalhadas)

Demi: Deu pra ver o quanto vocês me amam. (fiz bico) Ok, ok. (Maddie pulou da cama me arrastando pra perto dela e de Joe)

Maddie: A gente ama você, mas você nunca grava os nomes dos personagens do Mario. (deu um beijinho na minha mão)

Demi: Shiu, ok? Não precisava contar pro Joe. (dei língua pra ela)

Maddie: Agora já foi! (riu)

Demi: Já foi a Senhorita pro banho. (ela fez bico mas logo foi pro banheiro) To sem sono nenhum. (fiz careta)

Joe: Eu também não. (sorriu) A gente podia ver um filme. (deu de ombros, escutei Maddie gritar do banheiro algo como " Eu também quero" e acabei por encarar Joe rindo) Acho que nada de filmes de terror, né? (neguei com a cabeça) Que filmes a Maddie tem?

Demi: De Moranguinho pra Garfield, de Pequena Sereia a Bob Esponja... (ri da cara dele) Provavelmente ela vai querer ver Moranguinho. Tem um tempo que a gente não vê.

Joe: Ok. Então vamos ver Moraguinho. (ele riu) Ta lá embaixo?

Demi: Uhum. Meu pai ligou, minha mãe ta viajando e ele não vem pra casa hoje. A gente pode ver lá embaixo se quiser. Eu te ajudo a levar as cobertas. (Assim que ajudei Joe a descer com as coisas, e ele estava na cozinha fazendo pipoca, Maddie me gritou do banheiro e eu subi correndo, fui em seu quarto pegando seu pijama e levei até o banheiro.)

Maddie: Fica namorando e esquece de mim, né? (ela me deu língua enquanto eu a ajudava a por a parte de cima do pijama)

Demi: Eu não estava namorado. (lhe deu língua)

Maddie: Aham, tá. (disse prendendo o riso, enquanto passava os dedinhos na franja a arrumando) Lembra que eu disse que queria que vocês ficassem juntos? (a encarei enquanto afirmava) Então...

Demi: Então...? (sorri a encorajando)

Maddie: É pra sempre, né?

Demi: Isso a gente só vê com o tempo, pequena. (dei uma batidinha com o dedo na ponta de seu nariz) A gente já ta junto agora, e isso não é bom? (Ela assentiu) Eu vou tomar meu banho, tudo bem? Se quiser pode descer e ficar lá com o Joe.

Maddie: Tudo bem. Eu vou procurar o Yoshi primeiro, não sei onde coloquei.
......

Saí do banheiro e Maddie estava em cima da cama, puxando a camiseta pra cima e observando, pelo espelho, a cicatriz que ficara da cirurgia. Ela parecia triste e era estranho vê-la assim, quando se está
acostumado a vê-la correr pela casa, totalmente alegre.

Maddie: Demi, eu vou ficar com isso? (perguntou com a mão a centimetros acima do umbigo, correndo o dedo onde ficava a cicatriz)

Demi: Eu acho que sim, meu amor. (me sentei na cama mas ela continuou de pé)

Maddie: Por quê? Quer dizer, ninguém que eu conheça tem uma assim...

Demi: Isso só faz você especial, Maddie.

Maddie: É feio, Dem. (me olhou com os olhinhos marejados)

Demi: Não, não é. Sabe por quê? (ela negou) Porque isso mostra que você lutou, que você ta aqui hoje porque você superou alguma barreira. Não precisa ter vergonha se alguém ver, é bonito de certa forma.

Maddie: Você fala isso porque não é você.

Demi: Eu... (levantei da cama e puxei a blusa de pijama que eu usava, deixando a mostra uma cicatriz de uns 10 centimetros que eu tinha na barriga) Tá vendo isso aqui? (parei ao lado dela, no chão e de
frente para o espelho) Eu ganhei tem uns anos, por você. Eu briguei com a mamãe e ela acabou me machucando, mas valeu a pena. (ela desceu da cama e tocou a minha "marca")

Maddie: Doeu muito? (me encarou)

Demi: Muito, mas a dor passou.

Maddie: Desculpa...

Demi: Não foi sua culpa. (sorri, arrumei a minha blusa e peguei Maddie no colo) Só não sinta vergonha por causa disso, tá? (assentiu e lhe dei um beijo na testa) Agora vamos, Joe está esperando a gente. (Maddie pegou o Yoshi que estava em cima da cama e me deu a mão descendo as escadas, vi Joe parado de frente pra TV encarando um DVD na mão)

Joe: Aventuras em Tutti Frutti? (dei de ombros sorrindo) Ok. (Joe colocou o DVD) Vou pegar a pipoca na cozinha. (Maddie me ajudou a arrumar os cobertores e os colchonetes, quando Joe voltou o filme tinha acabado de começar, me sentei do lado de Joe que estava deitado de barriga pra cima, e Maddie entre nós com a cabeça no meu colo. Assistimos o filme, Maddie ficava sussurrando as falas e eu e Joe acabávamos rindo. Estava na metade do filme quando ela deixou o sono a vencer e acabou dormindo. Olhei pro lado e vi Joe com os olhos fechados. Comecei ajeitar Maddie pra pegá-la no colo e subir com ela pro quarto, quando me levantei escutei Joe me chamar.) Deixa que eu levo ela. (olhei pra ele que me encarava com um sorriso fino nos lábios. Assenti. Não estava em situação de negar. Era capaz de rolar junto com Maddie pelas escadas.)

Joe subiu e eu fui até o colchonete me sentando, apoiei as costas no sofá e fiquei encarando a TV que agora tinha uma cor preta em toda sua tela. Fechei os olhos e fiquei ali em silêncio, escutei os passos de Joe, mas continuei de olhos fechados. Alguma coisa me dizia que se eu abrisse, e encarasse ele, acabaria chorando. Era estranho, mas eu tinha um aperto no coração. Não sei o porquê. E da onde vinha essa força estranha de querer por lágrimas pra fora. Joe se sentou do meu lado e ficou em silêncio. Eu só escutava o som de sua respiração super controlada e da minha totalmente fora de ritmo.

Joe: As coisas não são tão fáceis aqui, não é? (Assenti ainda de olhos fechados) O que aconteceu, Demi? O que aconteceu durante o tempo que a gente não se viu? Sua mãe. Ela não era assim.

Demi: Tantas coisas aconteceram Joe... (respirei fundo tomando coragem de abrir os olhos. Encarei as cortinas penduradas na parede. Elas eram meio salmão bem fraquinho) Foi como se tudo perdesse o sentido...

Joe: Mas você não quer falar disso agora, né? (concordei com cabeça) Algum dia eu vou saber o que aconteceu?

Demi: Uhum. Algum dia sim. (sorri fraco, enquanto apoiava a cabeça em seu ombro) Sabe o que eu tava lembrando?

Joe: O quê? (mesmo não olhando eu sabia que ele estava sorrindo)

Demi: Daquela vez que teve o baile de primavera na escola. Que nós ficamos ensaiando uns 2 meses mas chegou em cima da hora e você quebrou a perna. (dei um risinho, abrindo os olhos) Você ficou com tanta raiva que não pode dançar, lembra? (ele assentiu rindo também)

Joe: Aqueles passos eram difíceis... (ele fez careta)

Demi: Não eram não. Você que era um perna de pau. (eu ri e ele me olhou indignado) Era sim, Joe!

Joe: Vai ver quem é o perna de pau agora. (ele sorriu brincalhão enquanto me deitava no colchão) Se arrepende do que disse? (ele mostrou os dedos em forma de garra, mostrando que iria me encher de cócegas. Balancei o rosto horizontalmente negando.) Deveria se arrepender... (começou a me fazer cócegas, e eu comecei a rir. A cada gargalhava que eu dava me fazia ter mais vontade de rir, por a achar tão estranha.)

Demi: Pára, Joseph! (tentei tomar fôlego enquanto ele ainda me fazia cócegas) A Maddie! Eu vou acordar ela! (ele parou e eu logo puxei o ar) Não faz mais isso... (pus a mão no abdômen que latejava pelas grandes gargalhadas que eu dei, puxei o corpo me sentando novamente na frente do sofá) Que foi? (percebi que Joe me encarava com um sorriso perfeito nos lábios)

Joe: Nada... (encostou as costas no sofá, e ficou olhando o nada por um tempo) Vem cá... (se levantou e esticou a mão pra mim) Vem, Demi!

Demi: Que foi, Joe? (eu ri confusa)

Joe: Anda! (segurei sua mão e ele me puxou para que eu ficasse em pé em sua frente) Me concede essa dança? (Abaixou a cabeça em referencia, me fazendo rir)

Demi: Claro que sim, cavalheiro.

Dei as mãos a ele. Joe passou a mão por minha cintura e me puxou pra perto. Coloquei as minhas em seu ombro e encostei a cabeça em seu peito. Ficamos os dois embalando pela sala bem devagar. Com o silêncio era só possível escutar o som de nossa respiração. Eu ainda podia escutar o coração de Joe. Calmo. Lento. Ele apoiou a cabeça sobre a minha e pude sentir sua respiração quente. Eu sentia tanta falta daquilo, ter Joe por perto me fazia me sentir segura, eu tinha ele de novo pra poder cuidar de mim. Sempre tendo tanta complicação nas minhas costas, era bom ter alguém pra poder relaxar. Levantei a cabeça e o encarei, sorri enquanto o puxava pra mais perto. Eu precisava dele, eu precisava do beijo de Joe naquele momento. E assim foi parte da minha noite com Joe, o simples fato de ter sua presença já melhorava a situação. O ar antes que parecia pesado, agora era puro.

~Semanas depois~

Eu gostava de estar voltando a escola. Não que eu tivesse parado de ir. Mas com Maddie doente, eu quase não parava lá. O tumulto dos alunos, o falatório, de algum jeito eu senti falta daquilo. Maddie saltitava enquanto tinha uma mão dada a mim e a outra a Joe. Numa fração de segundos ela soltou minha mão e correu até uma borboleta que passou, ela arrastou Joe junto e eu fiquei observando os dois correndo atrás dela. Ela tinha um tom amarelo claro, e voava devagar pousando de flor em flor. Sorri. Todos os momentos de Joe e de Maddie juntos me deixavam assim. Feliz, e ao mesmo tempo com uma culpa enorme nas costas. Poder os privar de saber que a ligação entre eles era maior que eles imaginavam. Que Maddie não era somente a irmã da namorada dele, e sim sua filha.

Sel: Então? Preparada pra encarar isso de novo? (virei o rosto pra ela que sorria)

Demi: Acho que sim. Pelo menos eu to mais calma sabendo que a Maddie ta melhor. (ela concordou com a cabeça) Alguma novidade daqui? (fiquei duas semanas sem ir a escola, foram os dias que os médicos pediram para vigiar Maddie e ver se ela tinha algum tipo de reação aos restantes dos medicamentos que tomava. Só pro caso dela sentir algum desconforto pela operação)

Sel: Hum... Acho que não. (deu de ombros) Meu pai ta de férias então provavelmente agora eu possa descansar um pouco das cobras.

Demi: Que bom! (sorri pra ela mostrando entusiamo) Estranho. Ainda não vi elas hoje... (comentei estranhando. Elas sempre ficavam na porta da escola, dando em cima de todos os garotos que entravam)

Sel: Talvez não tenham vindo... (ela hesitou olhando pra algum ponto) Esquece. (revirou os olhos)

Demi: O que foi? (segui a direção do olhar de Selena e vi Ashley próxima a Joe e a Maddie. Maddie a encarava com uma cara nada boa e Joe a encarava sem reação alguma. Ela tagarelava e quase se jogava em cima dele)

Sel: Não vai lá? (continuou encarando a cena)

Demi: Confio no Joe. (Falei calma. Ou pelo menos tentando parecer calma)

Sel: Você confia no Joe. Mas não na Ashley. (falou) Sério, Demi. É a Ashley. O Joe é super legal, mas ela vai ficar no pé dele. (assenti) Eu vou procurar o Nick, não vi ele hoje. (concordei com a cabeça enquanto Sel me abraçou. Ela andou pro outro lado do pátio procurando Nick. Respirei fundo caminhando até Joe e Maddie)

Demi: Aconteceu alguma coisa? (abracei Joe pela cintura e senti o olhar de Ashley querendo me matar)

Ashley: Ia acontecer. Mas você chegou querida. (piscou pra Joe e me deu um sorriso cínico)

Joe: Não, Demi. Não aconteceu nada e nem ia acontecer. Essa louca que me parou aqui e ficou falando umas coisas sem sentido.

Ashley: Você sabe que no fundo isso tem tudo a ver.

Maddie: Sai daqui, sua bruxa feia! (Maddie gritou fazendo careta. Ashley a encarou com raiva)

Ashley: Precisa de umas boas palmadas, dona mal criada.

Maddie: Eu não sou dona mal criada nada. (cruzou os bracinhos e bateu o pé no chão) Você que é fofoqueira. (pisou no pé dela e saiu correndo, Ashley gritou. Imagino a dor que ela sentiu. Maddie estava com a sandália que Sel havia comprado ontem mesmo e por isso ainda estava nova)

Ashley: Se eu pego essa peste! (esbravejou)

Demi: Você nem é louca de encostar um dedo nela! (Falei baixo)

Ashley: Tenho coisa mais interessante pra fazer. (piscou novamente pra Joe e jogou o cabelo, saiu rebolando pro outro lado do pátio)

Demi: Odeio ela. (rosnei baixo, enquanto Joe me abraçava)

Joe: Que garota sem noção. (fez careta depois que nós nos separamos)

Caminhamos em direção a escola, Maddie logo apareceu correndo e veio ao nosso encontro. Ela tinha o cabelo repartido ao meio, com duas trancinhas, uma de cada lado. Usava um vestido amarelo que ia mais ou menos até acima dos joelhos. Ela abraçou as pernas de Joe. Mas logo ela começou a andar na nossa frente de costas.

Maddie: O que a bruxa feia queria? (ela perguntou levantando uma das sobrancelhas) Eu não gosto dela, Demis. (fez bico)

Demi: Eu também não, mas Maddie...

Maddie: O quê? (parou de andar e eu e Joe fizemos o mesmo)

Demi: A gente tem que aguentar ela. (dei de ombros me abaixando a sua frente)

Maddie: Ela é muito má, Demi.

Joe: Maddie... (ele a chamou, e se abaixou do meu lado) Em qualquer lugar pra que a gente vá sempre vai ter gente chata, má. E sempre também vai ter pessoas legais. Amigas, que a gente goste de ter por perto. (ela assentiu) A Ashley nunca vai fazer nada de mal pra gente. Ela só faz isso pra chamar a atenção.

Maddie: Ela tem inveja da Demi... (olhou pros pés. Inveja? De mim? De onde Maddie tirou aquilo?) Ela tem inveja por que a Demi tem um monte de amigos, e todo mundo gosta dela. E também por que vocês tão juntos... (confesso que as vezes Madison me assustava. Ela só tinha 3 anos! Joe me olhou sem reação. Ficamos em silêncio. Alternei meu olhar entre Joe e o chão umas 3 vezes. O sinal de começo de aula tocou. Foi ai que vi que o pátio estava vazio.)

Demi: Vou perder a primeira aula... (olhei o relógio no pulso)

Joe: Pode ir, Demi. Eu tenho a primeira aula vaga. (assenti, dei um beijinho na testa de Madison e um selinho rápido em Joe e fui pra dentro do colégio. Me virei pra trás e vi Maddie pedir colo a Joe, que logo seguiu em direção ao jardim. Voltei a olhar pra frente e corri pra sala de geografia. Assim que entrei na sala o professor já estava lá. Pedi licença e corri até a cadeira vazia do lado de Selena.)

Sel: E aí? (sussurrou)

Demi: E aí o que? (sussurrei de volta, jogando o caderno e o estojo sobre a mesa, ela empurrou a cabeça pra frente como se quisesse me lembrar do que dizia) Ah! Ashley? (assentiu) A Maddie pisou no pé dela e correu. (dei de ombros e sorri)

Sel: Ela fez o que? (riu baixo)

Demi: Pisou no pé da Ashley e correu. (falei calma)

Sel: Essa garota é demais. (riu sozinha encarando o caderno) Puxou ao pai no quesito "dar fora" em alguém. (escreveu algo no caderno)

Demi: Fala baixo, Selena!

Sel: Ok. Ok. (Fizemos silêncio quando o professor olhou pra nós duas. Assim que acabou aula fomos pra perto dos armários. O corredor estava cheio, a maioria pegando livros e outros materiais.)

Fui pra sala novamente, dessa vez com Vanessa. Nos sentamos na cadeira, no fundo, aquela turma sempre foi pequena e as pessoas ficavam na frente. Não estava com vontade alguma de ter aula de Geografia. Estranhei o fato de Vanessa não ter falado nada comigo, nem mesmo um oi, olhei pro lado a encarando. Ela olhava pra um ponto no horizonte, seus olhos estavam vermelhos o que indicava que a pouco tempo tinha chorado.

Demi: O que foi? (passei a mão no cabelo dela. Ela negou com a cabeça, passando a mão na bochecha vendo se ainda tinha lágrimas) Aconteceu alguma coisa com o Logan?

Van: Não... (hesitou) Não sei, Demi. (Respirou fundo) Eu não sei mais o que fazer... (deu de ombros)

Demi: Respira, ok? (Ela assentiu) O Logan ta bem? Mesmo?

Van: Ele ta bem. O pai dele ta na cidade.

Demi: E por que ta nervosa assim? Ele não teria coragem de fazer nada pra ele, não é?

Van: Não. Não de machucar. Mas eu tenho medo de querer pegar ele de volta.

Demi:Ele não pode, Van. Ele abandonou ele, lembra?

Van: Mesmo assim, ele é o pai dele... (as lágrimas voltaram a brotar em seus olhos)

Demi: Vai ficar tudo bem, ok? (assentiu. Vanessa me abraçou e voltamos a prestar atenção a aula. Pelo menos fingir prestar atenção.)

Eu me colocava no lugar dela. Era como o que minha mãe queria fazer com Maddie. A tirar de perto de mim. Eu sentia exatamente o que Vanessa tava passando ali. Olhei rapidamente pela janela e vi que a manhã ensolarada terminaria em uma tarde de chuva. As poucas nuvens brancas de hoje de manhã estavam se tornando pretas, mostrando que em pouco tempo cairia chuva. E não seria pouca.



Polly: Oi pessoal! A gente queria postar ontem, no aniversário da Demi mas não deu tempo. É um big, só pra poder não passar o dia de ontem em branco :)

Bom... É estranho ver a Demi completar 20 anos, não vou negar. Mas ela cresceu, isso nunca vai poder mudar. Claro que vamos sentir saudade da menina de Camp Rock, da engraçada Sunny, da fofa Rosie... Mas com toda certeza a Demi ainda tem várias coisas pra nos surpreender. Só queria desejar um feliz aniversário pra ela, que não só nesse dia, mas em outros os outros do ano ela seja feliz. Que nos faça feliz com o sorriso dela, que acho que pros Lovatics não tem coisa melhor. Que ela continue nos emocionando com sua voz, suas atitudes.. Que nos surpreenda com novas ideias, mas que nunca deixe de ser nossa Demi. Nossa baixinha com o sorriso mais lindo do mundo, com o olhar mais brilhante que existe, com a risada mais escandalosa e linda que já foi dada por alguma pessoa. Desejo toda felicidade do mundo pra Dem, por que enquanto ela estiver sorrindo, vai ter milhões e milhões de Lovatics com a sensação de dever cumprido, com a sensação de que nossa Demi está feliz não importando onde ela está.
                              Stay Strong Demi... Happy B-Day....
~~~~~~~~~~
Duda: Olá, pessoas (:
Então, aí um big pra vocês por causa da demora e também por causa do aniver da Demi. Lay novo só por esse mês (que já está aí há um tempo na verdade k k k) pra comemorar o aniversário do Joe e da Demi, também u_u 
E AAAAAAAAAAAA 102 SEGUIDORAS <3 Quanto amor <3 kkk Obrigada, de coração (:
Então, a nossa Demi tá fazendo (fez u_u) 20 aninhos e isso é bem estranho, como a Polly falou. Todo mundo ainda deve lembrar daquele video que ela fez no aniversário de 16 anos como se fosse ontem e pensar que agora ela já é considerada adulta é um tanto assustador pra gente, que ainda lembra dela de franjinha em CR. Eu só quero que a Demi nunca deixe de ser quem ela é de verdade, que jamais esconda nada da gente, porque ela sabe que nós, os verdadeiros, sempre estaremos lá pra apoiá-la e ajudá-la, assim como ela fez com a gente. Que desde que ela seja quem ela quer ser e esteja feliz com isso, o resto não importa. A felicidade e saúde dela em primeiro lugar sempre, nem que pra isso ela tenha que desistir de outras coisas.

Um abraço enorme pra cada uma de vocês por continuarem com a gente (:
xoxo